quarta-feira, 18 de março de 2015

CONSAGRAR A FAMÍLIA A NOSSA SENHORA

O ideal da família, a Sagrada Família de Nazaré, é muito elevado e não é possível atingi-lo sem o auxílio da graça divina. Para que a graça possa atuar, é necessário que cada pessoa esteja receptiva, procurando ser cada dia melhor e sinceramente pedindo esta graça da transformação interior e da santificação da sua família.
Um dos meios mais eficazes para conseguir caminhar rumo ao ideal da família, é a consagração à Nossa Senhora, pois ela é a auxiliar permanente de Cristo, considerada a Medianeira de todas as Graças e sua missão, como Serva do Senhor, é ajudar a todos os seus filhos a progredirem no caminho do bem e da virtude.
Consagrar a família à Nossa Senhora significa colocar o cuidado pela família, o sustento material, a educação dos filhos, tudo nas mãos da Mãe de Deus, para que ela assuma esta responsabilidade de velar pela felicidade da família, para que a família consiga realizar seu ideal de ser a mais bela comunidade de vida e de amor.
 Esta Mãe cheia de graça deseja continuar a sua missão, que é conduzir todos a seu divino Filho Jesus e, ao consagrar a família a seus cuidados, ela realmente assume a condução do lar para que cada membro alcance o ideal pensado por Deus Pai a cada um e assim se tornem realmente pessoas felizes e realizadas.
“Maria – mãe, esposa e educadora na família de Nazaré – quer continuar sua tarefa hoje, criando famílias à imagem e semelhança da sua. Ela é especialista na questão familiar. Como mãe verdadeira, compreende as dificuldades, anima na luta, consola na dor, dá forças apara a forjadura do amor e da unidade familiar. Educadora eficaz, ela assinala os ideais mais elevados e concede energias para alcançá-los, atuando realmente nos corações. Ela realiza sua tarefa educativa pela influência e pela irradiação de sua personalidade. Os exemplos formam mais do que as palavras. Sua presença do seio da família cria uma atmosfera de afeição, alegria, intimidade, abnegação e paz. Nela se acham encarnadas as virtudes plasmadoras de uma ‘Igreja doméstica’.”[1]
“Por isso, aonde Ela ia, criava um ambiente de lar: na casa de Isabel, em Cana, no Cenáculo. E desde então aonde chega, cria família de imediato, converte os homens em filhos e irmãos. Assim foi em sua vida terrena e essa é a graça própria que Ela reparte agora desde o céu.”[2]
A forma de consagrar a família à Nossa Senhora pode ser bastante simples, uma oração de consagração é suficiente, sendo aconselhável montar no lar um pequeno oratório, com a imagem de Nossa Senhora, uma Cruz, talvez com um local para acender uma vela, ou realizar a leitura bíblica.
Todavia, a vivência e o cultivo desta consagração é que são mais importantes, podendo ser refletida na oração do terço, individual ou em família, orações diárias renovando esta consagração, novenas, peregrinações a Santuários marianos, enfim, tudo aquilo que demonstre o amor da família pela Mãe de Deus e sua intenção de que ela cuide e proteja cada membro da família.
Pouco a pouco é necessário adotar um estilo de vida mariano, ou seja, pai, mãe e filhos devem procurar viver unidos no amor, o que implica saber compartilhar as dores e alegrias, buscando realizar a vontade de Deus para suas vidas, lutando por este bem comum, este projeto de vida, pois esse é o exemplo da vida de Maria[3].
Além de consagrar o lar à Nossa Senhora é possível também transformá-lo em um verdadeiro Santuário, um local onde Deus atua de forma extraordinária através de Maria, realizando até mesmo milagres físicos e espirituais.
Para que isso seja possível, cada membro da família deve se esforçar diariamente pela santificação própria, em ser uma pessoa melhor, buscando realizar o ideal para o qual foi criado.
Muitas são as graças que Deus pode nos conceder através de Maria, em nosso Santuário-lar: a harmonia do casal, a compreensão de cada filho, a abertura ao diálogo, a superação de falhas de caráter ou de temperamento, o sentir-se abrigado em Deus, a transformação interior de cada membro da família, o ardor pelo apostolado, por desejar transmitir toda a riqueza do próprio lar para outras famílias, enfim, muitas e muitas graças.
“A Virgem Maria assume a responsabilidade de criar em nossas famílias, um pequeno paraíso. Ela quer formar e educar nossas famílias como reflexo de sua própria família, a Família de Nazaré. Que características tem essa família ideal, esse paraíso familiar? A Virgem quer criar em nossos lares um paraíso de amor: amor paternal, amor filial, amor a Deus e a Maria, amor aos irmãos. E também quer transformar nossa família em um paraíso de pureza, de alegria e de liberdade. Nele devem reinar a verdade e a justiça, o espírito de luta e de vitória.(...) Com outras palavras, a Santíssima Virgem pretende fazer de cada uma de nossas famílias um pequeno reino de Deus.[4]
Portanto, para transformar a casa em um verdadeiro Santuário de Nossa Senhora, é preciso consagrar a família inteiramente a ela e esforçar-se sempre pela santidade, realizando a parte que cabe a cada um, o 1% (um por cento) da colaboração humana, sendo que o restante, os outros 99% (noventa e nove por cento) a Mãe de Deus certamente realizará.
Toda família que busca transformar seu lar em um Santuário, assume como missão dar o testemunho da influência de Cristo e de Maria em sua vida matrimonial e familiar. É uma experiência que não pode ficar limitada aos muros da própria família: esta beleza da autêntica família cristã, reflexo da Sagrada Família de Nazaré, tem que ser levada a todos os cantos do mundo.



[1] “Maria um exemplo de mulher”, STRADA, Angel L., p. 222, Editora Ave Maria, 3ª edição, 1998, São Paulo
[2] Pe. Nicolás Schweizer, publicado em Reflexões No. 35 de 15.05.2008
[3] “Maria um exemplo de mulher”, STRADA, Angel L., p. 223, Editora Ave Maria, 3ª edição, 1998, São Paulo
[4] idem

Nenhum comentário:

Postar um comentário