quinta-feira, 18 de setembro de 2014

TRAÇOS CARACTERÍSTICOS DA PSICOLOGIA MASCULINA

Ontem vimos alguns traços da psicologia feminina. Hoje é a vez de aprendermos um pouco mais sobre a estrutura psicológica do homem. Somente através do conhecimento é que podemos conseguir um bom relacionamento entre homens e mulheres.

Para ser possível compreender a mente e a estrutura interior do homem é preciso ter sempre em vista este papel de chefe e provedor do lar. Todos os seus atributos físicos e psicológicos são voltados para dar-lhe a capacitação necessária para exercer esta dupla função.

O mundo dos valores masculinos é muito diverso dos valores femininos, pois toda a sua visão está voltada para o exterior, para o mundo, para a conquista, pois deve dedicar o seu tempo para trabalhar e conseguir o seu sustento.

“Valorizam o poder, a competência, a eficiência e a realização. Eles estão sempre fazendo coisas para se provarem e desenvolverem seu poder e suas habilidades. Seu senso de si mesmo é definido pela sua habilidade em alcançar resultados. Eles experimentam satisfação principalmente através do sucesso e da realização. (...) Eles estão mais interessados em ‘objetos’ e ‘coisas’ do que em pessoas e sentimentos. (...) Enquanto as mulheres fantasiam sobre romance, os homens fantasiam sobre carros possantes, computadores mais rápidos, invenções, engenhocas e tecnologia nova e mais potente. Os homens estão preocupados com as ‘coisas’ que possam ajudá-los a expressar poder através da criação de resultados e do alcance de metas.”[1]

Tudo o que o homem procura fazer é baseado nestes valores de conquista e autorrealização e está sempre buscando se capacitar para conseguir alcançar estas metas. Seu maior receio é fracassar na realização de seus objetivos, assim, pode muitas vezes ficar obstinado, sendo capaz de passar por cima de tudo e de todos, não se importando com mais nada além de conseguir o sucesso em seu empreendimento.

Porém, todo homem íntegro possui a capacidade de colocar sua força a serviço dos demais, em especial dos mais fracos. Seus impulsos para a vida pública podem ser uma maneira de servir à comunidade, às pessoas, não buscando seus próprios interesses. Estas capacidades precisam apenas ser conhecidas e bem desenvolvidas por cada homem.

Segue uma descrição mais detalhada de alguns aspectos da alma masculina, com o intuito de ser melhor conhecido e desta maneira, poder desenvolver e amadurecer estes dons que Deus presenteou ao homem para que ele cumpra de maneira mais plena a sua missão.

a)   A força física[2]: O corpo do homem foi dotado de uma força normalmente superior ao da mulher, sendo sua saúde também mais estável que a da mulher. A essa estabilidade física corresponde uma atitude emocional mais calma e constante, muitas vezes podendo ser interpretada pela mulher como indiferença, frieza ou insensibilidade. É muito difícil ao homem entender a fragilidade e a inconstância de humor feminina, pois sua natureza física é mais robusta, porém precisa se esforçar para não abusar desta condição e subjugar a mulher.
Atualmente, grande parte dos homens possui um trabalho mais sedentário, onde essa força toda não é necessária e isto pode gerar uma grande tensão, pois ele tem a necessidade de gastar a energia que seu corpo possui, que nos tempos antigos, era fundamental para a sua sobrevivência.
Assim, a prática do esporte pode ser muito necessária para manter o equilíbrio nervoso de um homem. Quando pratica exercícios físicos, consegue liberar a energia acumulada, ficando mais relaxado e menos propício à violência e grosserias.
Outra necessidade masculina que é decorrente desta força física é assumir e multiplicar obrigações fora do lar. O homem precisa de atividade, de estar em constante movimento, para extravasar toda esta força que possui em seu interior.
A mulher precisa entender esta característica masculina para não “boicotar” as atividades fora do lar e as atividades esportivas de seu marido. Todavia, o homem também necessita de equilíbrio, para não se dedicar exclusivamente à vida pública, esquecendo que em primeiro lugar é esposo e pai. Ademais, a força física foi dada ao homem para apoiar a fragilidade feminina e não para esmagá-la.
b)  Racionalismo: O raciocínio masculino é mais lógico, frio e rigoroso, procurando preferencialmente a essência das coisas, que seus mínimos detalhes. Para ele, as minúcias são minúcias, ou seja, tem pouca importância quando não interferem no resultado.
Desta forma, o homem é mais ligado ao essencial, preocupando-se mais com a síntese do que com a análise, por isso suas decisões são mais fortes. Por utilizar sempre de sua lógica, pensa sempre ter razão, chegando muitas vezes à teimosia.

c) Falta de sensibilidade: O homem tem dificuldade de exprimir seus sentimentos porque é infinitamente menos sensível que a mulher. Seu coração segue o ritmo da razão. Esta sensibilidade menos exacerbada do homem é muito saudável para o equilíbrio do lar, para reinar a paz, pois se ambos fossem super emotivos, poderiam muitas vezes se chocar de maneira dolorosa, causando profundas feridas.

Se o homem está enfrentando algum problema, sua insensibilidade para as questões do lar e para a esposa podem aumentar significativamente, pois ele necessita de todas as suas energias para a resolução de seu problema.

“Quando um homem está estressado, ele se retira para dentro de uma caverna na sua mente e se concentra na resolução de um problema. Ele geralmente escolhe o problema mais urgente ou mais difícil. Ele fica tão concentrado na resolução desse problema que perde temporariamente a noção de tudo o mais. (...) Em tais momentos, ele se torna progressivamente distante, esquecido, insensível e preocupado em seus relacionamentos. Por exemplo, quando tiver uma conversa com ele em casa, parece que somente 5% de sua mente estão disponíveis para o relacionamento enquanto os outros 95% ainda estão no trabalho.”[3]

Desta forma, a esposa precisa compreender que quando seu marido se isola para concentrar-se na resolução de um problema, sob o efeito do estresse, não significa que não a ame, ou não se importe com ela. Simplesmente ele precisa desse isolamento para conseguir se acalmar e encontrar a solução de que necessita. Nestes momentos, o melhor é esperar que ele saia deste isolamento e não ficar procurando tirá-lo à força, com uma série de questionamentos que só irão atrapalhar.
  
d) Realismo (pouca imaginação): A imaginação masculina é pouco ou quase nada desenvolvida. Ele a utilizará apenas quando é efetivamente necessário para atingir suas metas, porém logo volta ao seu estado natural de quietude. É por sufocar essa imaginação que o homem geralmente permanece realista, vê as coisas tais quais são, sem excesso ou exagero, auxiliando a mulher a colocar “os pés no chão” e não se afligir demasiadamente com mil hipóteses sugeridas por sua imaginação mais fértil.

e)  Autonomia:  O homem, sempre tendo como base sua vocação de ser provedor, desde cedo procura sua autonomia. Deseja fazer tudo sozinho, sem pedir ajuda. Busca o seu caminho para a realização de seus objetivos e não quer que ninguém fique opinando ou lhe dizendo o que e como deve fazer.

Ser autônomo e independente pode ser muito proveitoso, todavia o homem deve se precaver contra o excesso de autonomia, principalmente em relação a Deus. A tendência é acreditar que ele tudo pode por si mesmo, tornando-se autossuficiente, esquecendo de que tudo o que possui e o que conquista, provém da graça e providencia divina.

Portanto, o homem deve buscar sua dependência filial de Deus, agradecendo pelas suas conquistas, mas colocando seu destino nas mãos do Pai, procurando sempre realizar a Sua vontade, pois só assim será realmente feliz e realizado.

As mulheres precisam tomar certo cuidado com relação a esta característica masculina da autonomia, para não tentarem ajudar um homem que não está pedindo sua ajuda. Esta atitude de oferecer-se para auxiliar um homem, em qualquer situação, quase sempre será interpretada como uma falta de confiança nele e isso gera muitos conflitos desnecessários.



[1] “Homens são de Marte, Mulheres são de Vênus”, GRAY, John, Ph.D, pg. 26, Editora Rocco,  Rio de Janeiro, 1995
[2] “Diálogo em 4 dimensões”, TOALDO, Olindo e Marilene, pg.116 -123, Scala Gráfica e Editora, Atibaia/SP, 2003
[3] “Homens são de Marte, Mulheres são de Vênus”, GRAY, John, Ph.D, pg. 42, Editora Rocco,  Rio de Janeiro, 1995

Nenhum comentário:

Postar um comentário